Conheça os 20 finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2012


Júri final escolherá um vencedor em cada categoria: Melhor Livro do Ano e Melhor Livro do Ano – Autor Estreante

Estão definidos os 20 finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2012, promovido pelo Governo do Estado de São Paulo para estimular a criação literária e incentivar a leitura. Dez escritores na categoria Melhor Livro do Ano e 10 na categoria Melhor Livro do Ano – Autor Estreante foram escolhidos por um júri inicial composto por 10 profissionais do meio literário, entre autores, editores, professores, críticos, bibliotecários e livreiros. A partir de agora, as obras finalistas serão avaliadas por um júri final, com cinco especialistas que vão escolher um vencedor em cada categoria. Os dois ganhadores receberão R$ 200 mil cada um, o maior valor concedido por um prêmio literário no Brasil.

Melhor Livro do Ano

Adriana Lunardi - A vendedora de fósforos - (Rocco)
Bartolomeu Campos de Queirós - Vermelho Amargo (Cosac Naify)
Domingos Pellegrini - Herança de Maria (Leya)
Hélio Pólvora - Don Solidon (Casarão do Verbo)
Luiz Ruffato - Domingos sem Deus (Record)
Luiz Vilela - Perdição (Record)
Michel Laub - Diário da Queda (Cia. das Letras)
Paulo Scott - Habitante Irreal (Alfaguara)
Silvio Lancellotti - Em nome do Pai dos Burros- (Global)
Tatiana Salem Levy - Dois rios (Record)

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante

Ana Mariano - Atado de Ervas (L&PM)
Bernardo Kucinski - K (Expressão Popular)
Chico Lopes - O Estranho no Corredor (Editora 34)
Edmar Monteiro Filho - Fita azul (Babel)
Eliane Brum - Uma duas - (Leya)
Julián Fuks - Procura no romance (Record)
Luciana Hidalgo - O Passeador (Rocco)
Marcos Bagno - As memórias de Eugênia (Editora Positivo)
Susana Fuentes - Luzia (7 Letras)
Suzana Montoro - Os Hungareses (Ofício da Palavra)

Os finalistas foram escolhidos de um total de 209 livros habilitados para a competição, todos romances de ficção, escritos originalmente em língua portuguesa, editados pela primeira vez no Brasil e no ano de 2011. Do total de participantes, 90 concorreram à categoria Melhor Livro do Ano e 119 à categoria Autor Estreante. Ao todo, 101 editoras de todo o Brasil enviaram trabalhos, além de dois autores com edições próprias.
Entre os finalistas, uma curiosidade: a escritora Tatiana Salem Levy ganhou a primeira edição do Prêmio São Paulo de Literatura, em 2008, como autora estreante, com o romance A chave de casa. Agora, retorna à lista de concorrentes com seu segundo livro, Dois rios, desta vez na categoria dos autores “veteranos”.
O escritor Bartolomeu Campos de Queirós, morto em janeiro deste ano aos 67 anos, concorre in memoriam à categoria Melhor Livro do Ano com o romance Vermelho Amargo, seu último livro.
O anúncio do resultado final do Prêmio será feito em setembro, em cerimônia no auditório do Museu da Língua Portuguesa. Até lá, serão realizados sete encontros dos autores finalistas com o público, tanto na Capital quanto no interior do Estado, que pela primeira vez será contemplado nas ações relacionadas ao Prêmio.

Júri e Curadoria

O júri inicial, que escolheu os finalistas, foi integrado pelos professores de Literatura Marcos Antonio de Moraes (USP), Francisco Foot Hardman (Unicamp) e Maria da Aparecida Saldanha (USP); pela bibliotecária Margaret Alves Antunes; pelos escritores Luis Avelino de Lima e Ricardo de Medeiros Ramos Filho, pelos livreiros Egle Rita Amato, Maria Zilda da Cunha e Vitor Tavares da Silva Filho; e pelo crítico Manuel da Costa Pinto Neto. O júri final só terá seus integrantes divulgados após a seleção dos vencedores.
Já os curadores do Prêmio têm, dentre outras, a responsabilidade de propor os membros do júri inicial do prêmio e avaliar se os livros inscritos cumpriam o regulamento do concurso. Os curadores desta edição do Prêmio são o secretário-geral da Academia Paulista de Letras, desembargador José Renato Nalini; o jornalista e escritor Joaquim Maria Botelho; o professor, diretor-presidente da Fundação Editora UNESP e presidente da Associação Brasileira dos Editores Universitários, José Castilho Marques Neto, a escritora e professora Marisa Lajolo (atualmente na Mackenzie); e a bibliotecária Márcia Elisa Grandi (USP).

Bibliotecas e Leitura

A partir deste ano, o Prêmio São Paulo de Literatura passou a ser organizado pela Unidade de Bibliotecas e Leitura (UBL) da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, com produção da organização social SP Leituras. A UBL é a mais recente entre as unidades da Secretaria e está, aos poucos, assumindo a organização de todos os programas relacionados aos livros e à leitura.
“O Prêmio São Paulo de Literatura integra um conjunto de ações que visam garantir o acesso à leitura e à informação de qualidade aos cidadãos”, afirma a coordenadora da UBL e do Prêmio, Adriana Ferrari.
Atualmente, já estão sob a responsabilidade da Unidade de Bibliotecas e Leitura a gestão da Biblioteca de São Paulo, do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas (SisEB), do Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias e do programa Viagem Literária.

Prêmio São Paulo de Literatura – Histórico

O Prêmio São Paulo de Literatura foi criado em 2008 pelo Governo do Estado de Sãs Paulo como forma de valorizar a produção literária, estimular novos autores e incentivar a leitura. Hoje, está entre os prêmios literários de maior visibilidade no País e vem ajudando a divulgar obras e autores que se tornam relevantes no cenário nacional.
Desde que foi criado, o Prêmio teve participação de um total de 1010 livros e contribuiu de forma decisiva para dar visibilidade não só às obras vencedoras, mas também aos trabalhos finalistas.

Vencedores das outras edições

2011 Melhor Livro do Ano– Rubens Figueiredo, Passageiro do fim do dia.
Melhor Livro do Ano - Autor estreante – Marcelo Ferroni, com Método prático de guerrilha.
2010 Melhor Livro do Ano – Raimundo Carrero, A minha alma é irmã de Deus.
Melhor Livro do Ano - Autor estreante – Edney Silvestre, Se eu fechar os olhos agora.
2009 Melhor Livro do Ano – Ronaldo Correia de Brito, Galiléia.
Melhor Livro do Ano - Autor estreante – Altair Martins, A parede no escuro.
2008 Melhor Livro do Ano – Cristóvão Tezza, O filho eterno.
Melhor Livro do Ano - Autor estreante – Tatiana Salem Levy, A chave de casa.

Acompanhe as notícias no site do prêmio:

Nenhum comentário:

Postar um comentário