A doutora da educação

        A empresária Marlene Rito Nicolau abandonou a biomedicina e
       dedica seu tempo exclusivamente à frente da empresa Microcamp,
        e atribui o sucesso das escolas à modernização.


Imunologista de formação, a empresária Marlene Rito Nicolau abandonou a Biomedicina para se dedicar ao ramo da educação a frente das escolas Microcamp.
Atualmente ela é sócia de 50% da microcamp Tecnologia e Presidente da Microcamp SP. A empresa possui cursos de informática, profissionalizantes e idiomas, e deve faturar R$ 200 milhões só neste ano de 2012.
Natural de São Paulo, filha de portugueses, mãe de uma filha de 20 anos e mulher de Chiquinho Scarpa, formada em Biomedicina pela faculdade UMG, ganhou um consultório de presente de seu pai, onde não se entusiasmou com a ideia. “Sempre gostei de me arriscar e decidi me dedicar a abrir uma escola”, afirma a empresária. Desta experiência em diante não parou mais, e hoje aos 47 anos é presidente da Microcamp SP, uma rede formada com 160 escolas em todo o Brasil.
A empresária Marlene Rito Nicolau passou por cima do preconceito que gira em torno de que mulher não pode comandar uma empresa, e incentiva suas funcionárias a crescer dentro da empresa e as tornam grandes lideres empresariais. Hoje grande parte da liderança da Microcamp é formada por mulheres.
Microcamp SP, hoje sob o comando da empresária Marlene Rito Nicolau, vive em constante crescimento. Para Marlene, o sucesso se deve à modernização e a maneira de lidar com os alunos. “Os segredos são inovação e respeito ao aluno e aos funcionários”. A Microcamp é líder de mercado e reconhecida pela sua qualidade e rapidez em lançar novos cursos.
Estamos constantemente trabalhando para oferecer o melhor a nossos alunos, além de prepará-los para o mercado de trabalho. “Hoje, o aluno Microcamp tem o reconhecimento de grandes empresas, que muitas vezes usa nossos certificados como requisito para contratação” revela à empresária.

         O bom momento vivido pela economia brasileira reflete o grau de exigência encontrado em cada porta que se bate na esperança de uma vaga.
Nesta condição, mais exigência é sinônimo de maior competitividade que, por sua vez, transforma o estudar cada vez mais em uma obrigação. Para atender a demanda de futuros profissionais, a Microcamp, que cresce a cada ano, valoriza seus profissionais para que a renovação da empresa seja completa. “O crescimento se deve ao bom serviço prestado a nossos alunos, com o maior nível de satisfação, que pudemos aumentar o faturamento com um mínimo de despesas, além de maior valorização dos nossos funcionários”, diz Marlene, que conclui, “tudo isso, principalmente, com o novo conceito adotado em 2011, em que a prioridade é a qualidade das aulas, reformulação dos livros e a certeza que os alunos adquirem conhecimentos em todas as aulas, além de novos equipamentos.”
Para ela, há um  lema no centro profissionalizante que é essencial. Nosso lema é: “Feliz por estar aqui”. Isso resume muito o espírito da empresa, acreditamos que pessoas motivadas felizes, nas funções corretas e bem preparadas são nossos maiores patrimônios, todos fazem parte de planos de carreira sem distinção de tempo de empresa ou função, todos são premiados de acordo com a produtividade e são constantemente estimulados a alcançar novos desafios, e adquirir mais conhecimento, através de treinamentos feitos na própria Microcamp ou cursos custodiados pela empresa.

         A empresária tem consciência que é necessário investir. Para esse ano, por exemplo, além de almejar um aumento na lucratividade em torno dos 30%, Marlene fala em abrir novos cursos.
         Em todo o Brasil, são mais de 160 unidades da Microcamp. Só em São Paulo são mais de 60. A intenção, conta a empreendedora, é levar a empresa para mais lugares para mais gente ter a possibilidade de se qualificar. A questão social é deliberadamente levantada pela Microcamp, que realiza diversos trabalhos do gênero. “Temos vários projetos sociais, todos voltados à área de ensino.
         No campo ambiental, Marlene e a Microcamp também se destaca por desenvolver a campanha Lixo Eletrônico junto à Ong Oxigênio. “Estamos com um grande projeto com a Ong, cuja presidente é Martha Del Bello. Temos trabalhado na captação e esclarecimento sobre a recolha adequada do lixo eletrônico e óleo de cozinha. Temos feito um trabalho bastante efetivo de conscientização dos jovens”.

         Tanto esforço da equipe Microcamp, de evidente visão colaborativa, tem seu reconhecimento. Há oito anos consecutivos a Microcamp recebe o Selo de Excelência em Franchising da ABF. Marlene diz que a premiação é fruto do excelente nível dos cursos oferecidos. Para a empresária não há limite de melhoria. O objetivo é sempre evoluir. “Vamos investir cada vez mais na qualidade dos cursos e qualificação de nossos funcionários. Essa tem sido por anos, nossa formula de sucesso, não há porque mudar.”
E engana-se quem pensa que comandar a rede é fácil. “É sempre um desafio, pois somos prestadores de serviço e obviamente não posso estar em todas as unidades, o que impede, por vezes de ter total controle sobre o que se passa nas unidades. Além da obrigação de descobrir, sempre primeiro, o que o mercado necessita em termos de cursos”, finaliza Marlene que concilia o papel de empresaria, mãe e uma agenda social super movimentada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário